Brasil

Conheça o Rio de Janeiro além das praias

Aproveite uma tarde no lugar para tomar um delicioso café com uma vista do Cristo Redentor (Foto: pedro botton/Flickr)pedro botton/Flickr

Sol, calor, mar, areia e céu azul. Quando se fala no Rio de Janeiro, essa é primeira imagem que vem à cabeça da maioria dos turistas. Mas você já se perguntou se é possível ir à cidade e não conhecer apenas as lindas e deliciosas praias? Sim, há vida fora das praias cariocas e ela é surpreendente.

Em quase todos os locais da cidade é possível avistar o mar, mas resista à tentação e reserve algum tempinho para sair das areias e curtir o lado cultural, boêmio e ecológico do Rio. O Flymaniacs separou alguns pontos que você deve conhecer.

| Estádio do Maracanã

Aproveite que está pelo Rio de Janeiro e assista a um jogo dos times locais (Foto: Flymaniacs)
Aproveite que está pelo Rio de Janeiro e assista a um jogo dos times locais (Foto: Flymaniacs)

O futebol é um dos marcos do Brasil, por isso o estádio sempre entra no roteiro turístico, principalmente dos gringos. O Maraca oferece um tour onde é possível conhecer bastidores, tribuna de imprensa, vestiários, camarotes e o acervo com toda a história dos craques que marcaram o futebol mundial. Porém, se você realmente gosta de futebol vale a pena assistir a uma partida dos times locais (Fluminense, Vasco da Gama, Flamengo ou Botafogo). Há jogos em toda época do ano, mas se programe, pois dependendo do campeonato, os ingressos se esgotam e não é possível comprar no dia.

Estádio Jornalista Mario Filho, seu nome oficial, tem capacidade para mais de 75 mil espectadores e fica na Zona Norte do Rio. Construído para a Copa do Mundo de 1950, foi palco para a Copa que se repetiu no país em 2014.

Horário: diariamente, das 9h às 17h (de hora em hora)
Duração: 
cerca de 1 hora
Valor: 
R$ 60 (guiado) ou R$ 50 (sem guia)
Mais informações

| Jardim Botânico

O lago cheio de vitórias-régias é um dos pontos mais visitados do jardim (Foto: Flymaniacs)
O lago cheio de vitórias-régias é um dos pontos mais visitados do jardim (Foto: Flymaniacs)

Com mais de 200 anos de existência, o Jardim Botânico do Rio de Janeiro tem cerca de 8 mil espécies de animais e plantas. O local foi criado no dia 13 de junho de 1808 pelo então príncipe regente português D. João, que queria instalar no local uma fábrica de pólvora e um jardim para aclimatação de espécies vegetais originárias de outras partes do mundo. O ponto alto da visita é a fileira de palmeiras que foram plantadas quando o jardim surgiu, o lago coberto de vitórias-régias e o orquidário, local com 600 espécies de orquídeas.

Horário: segundas-feiras: das 12h às 18h // terça-feira a domingo: das 8h às 18h
Valor: R$ 15 (somente em dinheiro e cartão de crédito)
Mais informações

| Parque Lage

Aproveite uma tarde no lugar para tomar um delicioso café com uma vista do Cristo Redentor (Foto: pedro botton/Flickr)
Aproveite uma tarde no lugar para tomar um delicioso café com uma vista do Cristo Redentor (Foto: pedro botton/Flickr)

Logo ao lado do Jardim Botânico está o Parque Lage, um antigo engenho de açúcar na época do Brasil Colônia. Até quem não liga muito para arquitetura vai se deliciar com a linda estrutura colonial, onde hoje funciona a Escola de Artes Visuais (EAV). Mas a melhor parte do parque é, talvez, o bar-restaurante que existe no pátio interno do palacete. E não é por causa do café e de seus pratos (gostosos), mas pela vista e tranquilidade que o lugar traz. Sente-se em uma das mesas em volta do espelho d’água e observe a imagem do Cristo Redentor ao fundo.

Horário: Diariamente, das 8h às 17h (durante o verão até às 18h)
Valor: gratuito
Mais informações de horários

| Corcovado e Cristo Redentor

Essa vista do Rio de Janeiro só é possível lá de cima do Corcovado, bem ao lado do Cristo Redentor (Foto: Flymaniacs)
Essa vista do Rio de Janeiro só é possível lá de cima do Corcovado, bem ao lado do Cristo Redentor (Foto: Flymaniacs)

O principal cartão-postal da cidade e uma das sete maravilhas do mundo fica no Parque Nacional da Tijuca e tem uma vista panorâmica da cidade. Se tudo isso não for o suficiente para levar você até lá em cima, o Cristo Redentor já recebeu o título da melhor atração do Brasil pelos turistas que usam o TripAdvisor. Com 30 metros de altura e confeccionado em pedra sabão, é considera a maior estátua em estilo art déco do mundo.

Para chegar ao topo, é preciso pegar uma van ou trem – essa última é a forma mais utilizada. O Trem do Corcovado parte do Cosme Velho, faz um percurso de 3.800 metros em meio a jardins e dura 25 minutos. Já as vans partem do Largo do Machado, Copacabana (Praça do Lido) e Paineiras. É recomendável comprar o ticket para o passeio com alguns dias de antecedência e, se possível, pela internet.

Horário: diariamente, das 8h às 19h, com saídas a cada meia hora.
Valor: R$ 62 a R$ 75 (depende da temporada)
Mais informações

| Pão de Açúcar

Pegue o famoso bondinho do Pão de Açúcar e observe a cidade do alto (Foto: Flymaniacs)
Pegue o famoso bondinho do Pão de Açúcar e observe a cidade do alto (Foto: Flymaniacs)

A linda vista de dois mirantes naturais já seria uma atração especial. Porém, é a subida de bondinho que torna o passeio imperdível. Há duas opções para quem quer ir aos mirantes: é possível chegar até a metade do Morro da Urca a pé, por meio de trilhas e sem pagar nada; ou ir até o topo, a 396 metros do nível do mar, com o charmoso teleférico que sai da Praia Vermelha, no bairro da Urca.

Do alto, é possível ver os barcos na praia de Botafogo, o Morro Dois Irmãos e o Cristo Redentor. Aproveite para pegar uma bebida no bar e ficar alguns minutos apreciando a vista. Agora também é possível fazer um tour histórico ou pelos bastidores do local.

Horário: abertura da bilheteria às 8h // fechamento da bilheteria às 19h50
Valor: R$ 85 (passeio tradicional) ou R$ 120 (passeio histórico)
Mais informações

| Santa Tereza

Para subir até Santa Tereza, vá pela Escadaria Selarón (Foto: vincentraal/Flickr)
Para subir até Santa Tereza, vá pela Escadaria Selarón (Foto: vincentraal/Flickr)

Em um dos cantinhos mais pitorescos da cidade está o bairro de Santa Tereza. Localizado no alto de Morro do Desterro, que no século XVIII era rota de fuga para escravos, o bairro é marcado pelos trilhos do velho bondinho elétrico, que deve voltar a funcionar em breve. Lá em cima, além de bares e botecos com ótima música, há restaurantes com uma vista privilegiada do centro antigo da cidade.

Santa Tereza ainda é cheio de espaços culturais, ateliês e lojas de artesanatos. É possível pegar ônibus, táxi ou subir a pé. Se essa última for a sua escolha, vá pela Lapa e suba os degraus mais famosos da cidade na Escadaria Selarón. A escada leva o nome do artista plástico chileno que assina a obra que tem 215 degraus recobertos de mosaicos de cerâmica nas cores verde, amarelo e azul.

| Parque das Ruínas

O Parque das Ruínas, localizado em Santa Tereza, tem muita música e programação cultural (Foto: Tamires Lopes/Flickr)
O Parque das Ruínas, localizado em Santa Tereza, tem muita música e programação cultural (Foto: Tamires Lopes/Flickr)

Se estiver por Santa Tereza, não deixe de visitar o Parques das Ruínas, inaugurado em 1997. Antes, foi residência de Laurinda Santos Lobo, uma importante ativista pelos direitos da mulher.

Atualmente, o local é um espaço cultural que conta com teatro, sala de exposição, circo, muita música e um café. Em meio às ruínas e novas estruturas metálicas, é possível caminhar dentro do casarão e subir até o mirante de onde se tem uma bela vista da Baía da Guanabara.

Horário: terça-feira a domingo, de 8h às 18h
Mais informações

| Lapa

Os Arcos da Lapa e a badalação durante a noite (Foto: Carlos Monte Jr/Flickr)
Os Arcos da Lapa e a badalação durante a noite (Foto: Carlos Monte Jr/Flickr)

Aos pés de Santa Tereza está a Lapa, o bairro mais boêmio do Rio de Janeiro. Cheio de bares e restaurantes, é lá que você encontrará um bom local para passar as noites bem ao estilo carioca: com muito samba e cerveja gelada. Entre os lugares mais badalados (mas não necessariamente com a melhor música e comida) estão o Rio Scenarium e o Bar da Boa.

É lá também que estão os famosos Arcos da Lapa. Construídos por escravos e índios no século VXII, é um dos maiores símbolos da cidade.

| Lagoa Rodrigo de Freitas

A lagoa é uma ótima opção para aqueles que querem praticar esporte (Foto: Rodrigo Soldon/Flickr)
A lagoa é uma ótima opção para aqueles que querem praticar esporte (Foto: Rodrigo Soldon/Flickr)

Logo ao lado das praias do Leblon e Ipanema, a Lagoa Rodrigo de Freitas tem 9,5 km de contorno e é o local preferido de remadores e amantes de esportes. Ali se encontra ciclovia, pista de cooper, quadras esportivas. Os quiosques que rodeiam a lagoa oferecem todo o tipo de comida, mas dê preferência ao típico açaí na tigela.

| Mirante da Paz 

Com uma vista diferenciada da cidade, você conhece um comunidade carioca (Foto: leesean/Flickr)
Com uma vista diferenciada da cidade, você conhece um comunidade carioca (Foto: leesean/Flickr)

Algo interessante para se conhecer na Cidade Maravilhosa são as comunidades que estão por toda parte. Entre os diversos tours que exploram essas regiões, um que vale muito a pena, e é de graça, é o Mirante da Paz, no Morro do Cantagalo.

Logo ao lado da estação Ipanema/General Osório do metrô está o complexo Rubem Berta – duas torres e passarelas inauguradas em 2010 para facilitar a vida dos moradores da comunidade Cantagalo. Pegue o elevador até o 2º andar e suba alguns lances de escada. De lá, você terá uma vista privilegiada, equivalente a se estar no topo de um prédio de 20 andares.

Apesar da comunidade estar localizada entre áreas nobres da cidade, ela sofre com os graves problemas sociais. Para tentar reverter esse cenário, diversos projetos sociais tomaram forma e a comunidade conta hoje com uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). O mirante, inclusive, foi batizado com o nome de Mirante da Paz a pedido dos moradores.

Horário: os elevadores funcionam diariamente das 5h às 0h
Valor: gratuito

| MAC

O MAC, localizado em Niterói, é um dos prédios de Oscar Niemeyer (Foto: Julie Laurent/Flickr)
O MAC, localizado em Niterói, é um dos prédios de Oscar Niemeyer (Foto: Julie Laurent/Flickr)

Ir até o Museu de Arte Contemporânea de Niterói é mais um bom motivo para cruzar a conhecida Ponte Rio-Niterói. Entre exposições que mudam durante o ano, a visita também vale a pena pelo museu em si, que é uma das obras mais icônicas de Oscar Niemeyer.

Horário: Museu – terça-feira a domingo, de 10 às 18 // Pátio – segunda-feira a domingo, de 9 às 18h (no verão até às 19h)
Valor: R$ 10
Mais informações

| Museu do Amanhã

O museu já chama a atenção pela sua arquitetura (Foto: Matt Kieffer/Flickr)
O museu já chama a atenção pela sua arquitetura (Foto: Matt Kieffer/Flickr)

Esse é o mais novo cartão-postal da cidade. Em sua inauguração, as filas eram enormes. Na real, até hoje o local é bem cheio. Por isso aconselhamos reservar com antecedência pelo site. O Museu do Amanhã é traz um tour bem interativo sobre a trajetória do planeta. Você poderá caminhar por salas como se fossem fases. E cada uma trará uma experiência e questionamento diferente.

Horário: terça a domingo, das 10h às 18h, com última entrada às 17h
Valor: R$ 20 (terça-feira entrada gratuita)
Mais informações

Deixe sua mensagem