DestaqueEuropa

Saiba o que fazer na Montanha Rigi, na Suíça

@flymaniacs@flymaniacs

Chegou o dia de conhecermos a tão famosa montanha Rigi, localizada bem pertinho de Lucerna. Ela é a montanha mais baixa da região, com 1798 metros, mas nem por isso a menos bonita. Arrisco dizer que foi a minha preferida entre todas que visitamos em um roteiro de 12 dias pelas Suíça, principalmente pelas atividades possíveis lá no alto.

Já tinham nos avisado que a vista era surpreendente, com muitos lagos, montanhas e tudo o que você tem direito quando se fala em Suíça. Aliás, ela é conhecida como a rainha das montanhas na região de Lucerna justamente por conta da magnífica vista lá do topo.

Com 1798 metros de altura, a Montanha Rigi tem várias trilhas para caminhada (Foto: Flymaniacs)
Com 1798 metros de altura, a Montanha Rigi tem várias trilhas para caminhada (Foto: Flymaniacs)

Apesar de ter viajado em outubro, pegamos bastante frio e neve na Suíça. Na real, pegamos muita neve no alto das montanhas, o que é esperado! E a nossa ida a Montanha Rigi não poderia ser diferente. Lá de baixo, o tempo não estava dos melhores, mas mesmo assim resolvemos encarar a subida de trem.


MAIS SOBRE A SUÍÇA
O que você precisa saber antes de ir para a Suíça
Roteiro de 12 dias pela Suíça
Saiba o que fazer em Zermatt, na Suíça
Hotel Crystal: onde se hospedar nos alpes suíços
Conheça o Lac St-Leonard, o lago subterrâneo da Suíça
Como é conhecer Jungfraujoch, Top of Europe?
Banho de águas termais na Suíça
Tudo sobre o Monte Titlis, em Engelberg


Aos 1798 metros de altura, o tempo estava completamente fechado. Já na subida de trem a neblina foi tomando conta da paisagem e impossibilitou apreciar qualquer coisa que estivesse a mais de 10 metros da nossa janela. Ok, a vista deveria ser legal mesmo, mas a gente resolveu aproveitar como dava, até porque ver neve é algo fora do comum pra gente que mora no Brasil.

Mas, pra nossa surpresa, conseguimos aproveitar a Rigi muito mais do que imaginamos, e até mais do que a Titlis, que fica na mesma região. Confira aí como chegar e tudo o que você pode fazer lá no alto.

| Como chegar até o Rigi

Como em todas as montanhas, chegar até o alto já faz parte da atração. E muitas vezes é a melhor parte! Para chegar à Rigi, existem formas diferentes que envolvem barco, trem e teleférico. Quer mais alguma coisa? Pois bem, digo barco porque é assim que muitos turistas vêm de Lucerna até um dos dois pontos de partida da Rigi: Vitznau e Weggis.

A subida por Vitznau, é feita com um trenzinho de cremalheira (Foto: Flymaniacs)
A subida por Vitznau, é feita com um trenzinho de cremalheira (Foto: Flymaniacs)

Caso você opte por subir por Vitznau, como fizemos, você irá até o topo com um trenzinho de cremalheira. Ele faz uma parada na estação intermediária, Rigi Kaltbad, onde fica o spa de piscinas termais de frente para os Alpes. É nessa estação também que muitos desembarcam para fazer trilhas, curtir as churrasqueiras ao ar livre para fazer um piquenique e parquinhos para as crianças.

Caso você esteja de carro, subir por Vitznau pode ser vantajoso, pois tem muitos estacionamentos por perto e um mercado para comprar lanches e bebidas para um piquenique nas alturas.

A outra opção, por Weggis, combina teleférico  (até a estação intermediária de Rigi Kaltbad), e depois pega o mesmo trem que o outro percurso.

A viagem até o topo já é sensacional (Foto: Flymaniacs)
A viagem até o topo já é sensacional (Foto: Flymaniacs)

Uma dica caso você esteja sem carro: suba por um lado e desça pelo outro. É uma forma de ter vistas diferentes e curtir outras experiências. O melhor de tudo é que todos esses trechos – barco, teleférico ou trem – estão inclusos no SwissPass. Falo mais sobre isso daqui a pouco, na parte de preços.

| O que fazer na Rigi

Entre todas as montanhas que visitamos, acho a Rigi uma das mais completas, com uma vista absurdamente incrível, muitas trilhas (apesar de não termos feito nenhuma por conta do mau tempo), restaurante, hotel, spa… O clima é mais leve, as pessoas parecem estar menos naquela pilha de sair turistando e tirando foto, o que traz a impressão de ser menos turística do que as outras (apesar de ser uma das mais famosas). Ao menos essa foi a nossa sensação.

Nós subimos com uma grande expectativa, pois já tínhamos lido muito bem sobre esse passeio. Mas, chegando lá no alto, o tempo estava completamente fechado.

Mesmo com neve, aproveitamos para caminhar lá no topo (Foto: Flymaniacs)
Mesmo com neve, aproveitamos para caminhar lá no topo (Foto: Flymaniacs)

Caminhamos lá no alto, passamos muito frio, mas curtimos o que dava. Foi aí que decidimos voltar até a estação intermediária e colocar a mão no bolso para curtir umas horinhas no spa – Rigi Kaltbad Mineral Baths & Spa. Já que estávamos lá, não íamos perder a viagem. Pagamos CHF 37 para ficar por tempo indeterminado, ou até o fechamento às 19h.

Até aí achávamos que esse era o momento mais incrível daquele dia. Entrar em uma piscina de águas termais, bem quentinha, e ter aquela vista impactante dos alpes cobertos de neve, com os termômetros batendo no 0ºC. Foi quase como sonhar acordado!

Aproveitamos o frio para curtir o Rigi Kaltbad Mineral Baths & Spa (Foto: Flymaniacs)
Aproveitamos o frio para curtir o Rigi Kaltbad Mineral Baths & Spa (Foto: Flymaniacs)

Enquanto curtíamos as piscinas, o tempo começou a abrir e resolvemos deixar o spa antes da hora para pegar o último trem até o topo novamente. Bom, fomos até a Rigi, tínhamos que tentar ver a vista tão esperada!

Dito e feito! Chegando no topo, descemos do trem e o céu estava completamente aberto, o que proporcionou uma vista 360º da região de Lucerna e Zug. E como pano de fundo, formando aquela panorâmica absurda de linda, o Alpes Suíços e nada menos que 13 lagos. Falam que também é possível ver a França e a Alemanha, mas isso já não sei dizer se rolou.

Enfim, conseguimos curtir todo o visual, caminhar mais entre as subidas e descidas e tirar muitas fotos. De lá também partem algumas trilhas. Aliás, chegamos a cogitar a ideia de descer a pé até a estação intermediária, numa caminhada de mais ou menos 20 minutos, mas estava frio demais para arriscar. Nos dias mais tranquilos, essa é uma boa opção para quem quer se mexer, mas sem precisar se aventurar por longos percursos.

Lá do alto você tem a visão de vários lagos e cidades (Foto: Flymaniacs)
Lá do alto você tem a visão de vários lagos e cidades (Foto: Flymaniacs)

Ainda no topo da Rigi, tem um hotel com mais de 200 anos (Hotel Rigi Kulm) e um restaurante que você pode provar o Älplermagronen, o típico prato da região. É um macarrão delicioso com maçã e crisp de cebola. Recomendamos! Ah, também vimos uma capelinha lá no alto, bem charmosa, mas estava fechada.

Quando resolvemos pegar o último trem até a cidade de Vitznau, percebemos que as atrações não tinham acabado. Foi quando pudemos observar o pôr do sol mais incrível de todos. Acho que por conta disso tudo, podemos afirmar que a Montanha Rigi foi a nossa queridinha!

| Preços

A Montanha Rigi não está entre as mais caras da região. Para subir até o topo custa CHF 72, mas se você tiver o SwissPass o passeio sairá de graça! Isso mesmo, ele está 100% incluso no passe e inclui até mesmo barco, caso seja necessário vir de Lucerna.

Pegue o último trem para descer e ainda aproveite um pôr do sol de tirar o fôlego (Foto: Flymaniacs)
Pegue o último trem para descer e ainda aproveite um pôr do sol de tirar o fôlego (Foto: Flymaniacs)

Para fazer o mesmo roteiro que nós, você teria apenas que pagar a entrada ao spa, que é CHF 37. É caro? Sim, mas vale muito a pena! Principalmente se você tiver bastante tempo para ficar por lá.

| Dicas

  • Vá bem agasalhado. Mesmo que esteja calor lá embaixo, no alto é quase sempre venta muito e as temperaturas ficam próximas de 0ºC.
  • Vá com sapatos confortáveis e impermeáveis (se possível). Você com certeza vai querer caminhar na neve (caso tenha) e não é legal ficar com os pés molhados nesse frio.
  • Leve água e lanches. Essa é uma dica que vale para todos os passeios da Suíça. Os valores nas montanhas são bem altos. Então ter algo para comer quando bater a fome é fundamental!
  • Fique de olho nos horários do trem. Se você perder o último horário, terá que ficar hospedado lá no alto.
  • Falando em trem, tome cuidado com o seu ticket. Você vai precisar dele em alguns momentos.
  • Passe protetor solar. Caso você não pegue o tempo muito fechado, como nós, lembre-se que que esteja frio
  • Leve roupa de banho, pois, como já falamos, lá tem um incrível spa com piscina com vista para os alpes.

Veja mais fotos da Montanha Rigi:

RIGI

Site: https://www.rigi.ch/en/

Facebook: Rigi Official 

Instagram: @Rigi.ch 

Endereço: Bahnhofstrasse 7 (Vitznau)

Telefone: +41 41 399 8787

E-mail: welcome@rigi.ch

Preço: CHF 72 (sem SwissPass) ou gratuito (com SwissPass)

*O Flymaniacs ficou sempre conectado com o chip da SimPremium, empresa americana que oferece o serviço de chip internacional para celular (voz, SMS e dados).

Deixe sua mensagem