DestaqueDestinosEuropa

Saiba o que fazer em Zermatt, na Suíça

@flymaniacs@flymaniacs

Esse é um lugar que não pode faltar no seu roteiro pela Suíça. E digo mais: Zermatt está na nossa listinha de lugares que você deve conhecer antes de morrer. Tanto é que em nossa terceira visita ao país, fomos pela segunda vez até Zermatt. Por quê? Simplesmente porque ela é maravilhosa.

Junto com Jungfraujoch, esse é o destino mais visitado da Suíça. Além do charme da cidade, Zermatt dá acesso a duas das montanhas mais atraentes do país: Matterhorn e Gornergrat. Subir em ambas foi uma sensação única, cada uma com sua beleza e atrações especiais. Aliás, o motivo de muitos visitarem a cidade é para ver com os próprios olhos o Matterhorn, montanha que inspirou o logo e estampa as embalagens do chocolate Toblerone.

Essa é uma das montanhas mais altas dos Alpes, com 4.478 metros de altitude. O seu formato triangular e único é o que a torna ainda mais linda, lembrando até uma pirâmide. Que tal conferir o nosso roteiro completo de 12 dias pela Suíça?

O Matterhorn é símbolo do chocolate Toblerone (Foto: Flymaniacs)
O Matterhorn é símbolo do chocolate Toblerone (Foto: Flymaniacs)

Todos os anos, mais de 3 mil alpinistas se arriscam escalando a famosa montanha, mas a cidade é procurada mesmo por turistas do mundo todo e em todas épocas principalmente por conta das suas pistas de esqui. As montanhas ficam cobertas de neve 365 dias por ano, ou seja, sempre é tempo para colocar o esqui no pé e sentir a adrenalina nas montanhas. Mas vale o aviso: como a altitude por lá é alta, alguns dias as pistas fecham por conta das péssimas condições climáticas.

Enfim, Zermatt é como um conto de fadas. Tem ruelas charmosas, restaurantes deliciosos, casinhas de madeira – bem aquelas de filme – e as paisagens mais clichês – no bom sentido – da Suíça. Quer mais motivos pra conhecer?

| Como chegar

Zermatt é uma cidade livre de carros. Além de bicicletas, apenas pequenos veículos elétricos, como ônibus, táxis e carros comerciais são autorizados a circular. Isso, sem dúvida, dá aquele toque especial para quem quer conhecer e se sentir na natureza.

Zermatt é uma cidade livre de carros (Foto: Flymaniacs)
Zermatt é uma cidade livre de carros (Foto: Flymaniacs)

Por isso, para chegar até lá, é preciso pegar um trem. Existem vários caminhos pela Suíça que te levam até Zermatt, mas o mais conhecido é a rota de trem panorâmica Glacier Express, considerada uma das mais lindas do mundo, que atravessa a o país até St. Moritz. Caso você tenha o Swiss Pass, esse trecho está incluso e você terá que pagar apenas a reserva do assento, que é obrigatória. Aproveita e leia uma matéria sobre tudo o que você precisa saber sobre a Suíça.

Se você estiver viajando de carro, como a gente (confira o nosso roteiro de 12 dias pela Suíça) uma boa opção é ir até Täsch, um vilarejo que fica a 15 minutos de Zermatt. De lá, paramos em um estacionamento (o valor é por hora, mas como passamos o dia na cidade, pagamos algo em torno de CHF 16) e compramos o ticket do trem (CHF 15,60/ida e volta) numa das cabines de autoatendimento da estação.

| O que fazer em Zermatt

Se você perguntar quantos dias ficar em Zermatt, será difícil responder. Da primeira vez que fomos, ficamos 1 dia e meio. Dessa vez, optamos por ficar apenas 1 dia, sem dormir na cidade. Tudo depende do seu estilo e o tempo que tem disponível.

A cidade em si não é muito grande e você a conhece em algumas horas. As lojas, restaurantes e comércio se concentram em poucas quadras, na Bahnhofstrasse. A cidade é uma delícia, mas as principais atrações estão no alto, nas montanhas. Além de esquiar, você pode fazer várias trilhas (são mais de 400 km para percorrer), diversos passeios de mountain bike, ou então pegar o trem até as duas principais atrações da cidade:

Matterhorn Glacier Paradise

Vista do Matterhorn Glacier Paradise (Foto: Flymaniacs)
Vista do Matterhorn Glacier Paradise (Foto: Flymaniacs)

Esse passeio te leva até o alto de uma montanha muito próxima do Matterhorn, a 3.883 metros acima do nível do mar. Para chegar até lá, é preciso sair da estação e caminhar para a direita, quase que no fim da cidade. De lá você vai pegar três teleféricos.

Chegando no alto, vá direto para a plataforma de observação, que é a mais alta da Suíça com vista para os alpes. Você terá uma vista 360º que é completamente surreal de linda. Da plataforma, você consegue avistar 38 picos com mais de quatro mil metros de altitude e 14 glaciares nos alpes franceses, italianos e suíços.

A vantagem é que, apesar do frio, a cidade é conhecida pelos dias de sol e céu aberto. Então a chance de ter uma vista completa dos alpes é bem grande! E se você acha que a vista do Matterhorn é linda lá da cidade, espere para vê-la do alto!

Glacier Palace: prepare-se para o frio (Foto: Flymanics)
Glacier Palace: prepare-se para o frio (Foto: Flymanics)

A plataforma é, sem dúvida, a maior atração do Matterhorn Glacier Paradise. Mas lá em cima ainda tem o Glacier Palace, que é uma espécie de museu de gelo. Ele é pequeno, tem algumas esculturas (lindas) em gelo e um bar com mesinhas (estava fechado quando fomos). A lado desse museu tem um restaurante com uma vista incrível. Aliás, você pode sair e caminhar um pouco pela neve por ali.

O ticket para subir até essa montanha custa a partir de CHF 87. Veja os valores no site oficial de Zermatt.

Gornergrat

A paisagem lá do alto é imperdível (Foto: Flymaniacs)
A paisagem lá do alto é imperdível (Foto: Flymaniacs)

Esse é o passeio mais famoso da cidade mesmo lá de baixo dá pra entender o motivo. Para subir os 3.089 metros, você precisa pegar um trem que fica bem em frente à estação principal da cidade. Aliás, essa estação (Gornergrat Bahn) foi a primeira ferrovia totalmente elétrica do país. Hoje, funciona com um trem moderno e sustentável, que recupera e economiza energia.

Bom, nem preciso dizer que o passeio já começa ali mesmo, né? O trajeto já é lindo demais. Mas só chegando lá no alto para perceber que a vista da primeira montanha que fomos, a Matterhorn Glacier Paradise, não era tão linda como essa.

Há estações intermediárias, mas aconselhamos que você vá direto ao topo, que é onde estão as atrações mais interessantes. Da plataforma você verá os alpes, a clássica vista do Matterhorn e alguns lagos. Lá tem um restaurante que você pode comer ou tomar algo com uma vista sem palavras.

Não deixe de subir até Gornergrat (Foto: Flymaniacs)
Não deixe de subir até Gornergrat (Foto: Flymaniacs)

Na hora de descer, aconselhamos parar na estação seguinte, a Rotenboden que é onde está o fascinante lago Riffelsee. Como era apenas uma estação, nós optamos fazer esse trajeto a pé, por uma trilha. Demora cerca de 40 minutos e é tudo descida, então é bem tranquila. Já vai curtindo o visual nesse caminho, pois é realmente lindo.

Desde que começamos a planejar a nossa viagem, ir até o Riffelsee era uma das nossas prioridades. Muito antes de embarcarmos já estávamos sonhando com essa imagem. Então imagina só a nossa felicidade ao chegar no lago! Acho que nenhuma foto consegue mostrar a imagem real desse lugar. Sabe quando você gostaria que os seus olhos tirassem uma foto para guardar a real cena para sempre? Era isso que a gente queria e talvez conseguimos.

O Riffelsee é um lago imperdível para quem for até Gornergrat (Foto: Flymaniacs)
O Riffelsee é um lago imperdível para quem for até Gornergrat (Foto: Flymaniacs)

É de lá que você tem essa paisagem incrível da montanha Matterhorn refletindo no lago e o topo dela colorido pelo pôr do sol. Nós optamos por ir nesse horário justamente porque já tínhamos visto que o fim de tarde era algo imperdível. E realmente foi um momento fora do comum!

Ficamos por ali mais de 1 hora, comendo uns lanchinhos que levamos e tomamos uma cerveja. Foi um momento que ficará guardado para sempre.

(Foto: Flymaniacs)
(Foto: Flymaniacs)

Nosso encanto quase nos fez perder o trem de volta para Zermatt. Caminhamos até a estação Rotenboden e embarcamos no último trem do dia! Então fique de olho para não perder o horário!

O passeio custa a partir de CHF 47. Veja preços e faça a reserva no site oficial de Zermatt.

Trilhas

São muitas as opções de trilha. Algumas saem da cidade, outras é preciso pegar  trem ou teleférico  para iniciar a trajetória. Para a maioria delas você não precisa ser um atleta , mas é bom ter um preparo físico razoável e sempre tomar cuidado para não se perder (apesar dos caminhos serem bem sinalizados).

Inclusive, tem um ticket especial em que você pode subir em vários picos para fazer trilhas, escaladas e andar de bike.

| Onde se hospedar         

Apesar de ser uma cidade pequena, Zermatt conta com mais de 100 opções de hotéis, sem falar em apartamentos de temporada e AirBnb. Entre tantas opções, também existem valores para todos os bolsos, mas prepare-se: mesmo as hospedagens mais econômicas normalmente têm valores bem salgados.

A cidade tem muitas casa, hotéis e até restaurantes de madeira (Foto: Flymaniacs)
A cidade tem muitas casa, hotéis e até restaurantes de madeira (Foto: Flymaniacs)

Se dinheiro não for um problema (afinal, essa é uma viagem dos sonhos!),  aí vão os nomes de alguns dos hotéis mais famosos: The Omnia, que já foi eleito Hotel do Ano pelo TripAdvisor, Mountain Boutique Cervo, Mont Cervin Palace, o Hotel Riffelhaus (hotel em Rotenboden com piscina termal de frente para a Matterhorn) e o 3100 Kulmhotel Gornergrat (hotel mais alto da Europa).

Mas se quer economizar um pouco, recomendamos olhar com antecedência em sites como Booking e AirBnb. Uma boa opção é o Hotel Bahnhof, que fica a 1 minuto a pé da estação de trem e tem opções de quartos compartilhados e individuais.

| Dicas

  • Caso você tenha apenas um dia na cidade e decida fazer os dois tours até os topos da montanha, aconselhamos fazer primeiro o Matterhorn Glacier Paradise, pois lá fecha mais cedo.
  • Vá bem agasalhado. Mesmo que esteja calor lá embaixo, no alto é quase sempre venta muito e as temperaturas ficam próximas de 0ºC.
  • Vá com sapatos confortáveis e impermeáveis (se possível). Você com certeza vai querer caminhar na neve e não é legal ficar com os pés molhados nesse frio.
  • Leve água e lanches. Essa é uma dica que vale para todos os passeios da Suíça. Os valores nas montanhas são bem altos. Então ter algo para comer quando bater a fome, é fundamental!
  • Fique de olho nos horários do trem. As últimas saídas costumam ser por volta das 19h e algumas vezes com o sol ainda brilhando, o que pode enganar o turista mais empolgado.
  • Falando em trem, tome cuidado com o seu ticket. Podem ocorrer inspeções e você terá que mostrá-lo. Caso você o perca, terá que pagar novamente, e até desembolsar uma grana de multa.
  • Passe protetor solar. Caso você não pegue o tempo muito fechado, como nós, lembre-se que que esteja frio.

Veja mais fotos de Zermatt:

 ZERMATT

Site: https://www.zermatt.ch/en

Instagram: @zermatt.matterhorn

Facebook: Zermatt Matterhorn

Telefone: +41 27 966 81 00

E-mail: info@zermatt.ch

*Ficamos sempre conectados com o chip da SimPremium, empresa americana que oferece o serviço de chip internacional para celular (voz, SMS e dados).

**O Flymaniacs conheceu Zermatt em parceria com a My Switzerland.

3 Comentários

  1. Eu já estava apaixonado pelos seus posts da Suíça. Agora você me fez morrer ainda mais de amores por esse país que sonho em conhecer. A foto de abertura me transportou para esse paraíso! Não poderia haver uma inspiração melhor para o meu chocolate preferido! Adorei a curiosidade e aumentou a minha necessidade de estar no país dos alpes! Parabéns pelo post repleto de dicas preciosas e registros maravilhosos!

  2. Que sonho de cidade, as montanhas são muito charmosas e adorei a curiosidade de saber da inspiração da embalagem do Toblerone, nem imaginava isso. Confesso que a Suíça nunca esteve no meu rol de lugares imperdíveis, por sempre ouvir o quanto é cara e tal, mas seus posts estão me deixando com taaaanta vontade.

  3. Sei muito pouco sobre a Suíça e adoro saber mais de lugares que não conheço. Este post tem dicas daquelas que a gente não encontra em qualquer lugar, deixo este comentário para agradecer!

Deixe sua mensagem