BrasilDestaqueDestinos

Roteiro de 4 dias em Capitólio, Minas Gerais

@flymaniacs@flymaniacs

A vontade de conhecer Capitólio é bem antiga, mas a gente sempre ficava adiando para um feriado com sol, um fim de semana prolongado… e só agora conseguimos conhecer essa cidadezinha do interior de Minas Gerais. E nos arrependemos de não termos ido antes. São muitas atrações, mas um roteiro de 4 dias em Capitólio é o suficiente para conhecer os pontos principais e se encantar por toda beleza natural da região.

São mais de 50 cachoeiras catalogadas, muitas trilhas para chegar em cada uma delas e alguns mirantes com paisagens maravilhosas. O que podemos adiantar é que essa é uma viagem para quem curte ecoturismo, essa pegada de contato com a natureza, durante o dia todinho.

Uma das paradas no passeio de lancha é a Cascatinha (Foto: Flymaniacs)
Uma das paradas no passeio de lancha é a Cascatinha (Foto: Flymaniacs)

E é justamente esse cenário que vem transformando o destino em um ponto cada vez mais procurado pelos viajantes, e que entope a cidade bem nos feriados. Afinal, essa é uma região privilegiada geograficamente, entre a Serra da Canastra (local que abriga um dos mais importantes cursos d’água da América do Sul) e o Lago de Furnas. Só com isso já deu para sentir um pouco do que a cidade reserva, né? Então confira todas as nossas dicas para 4 dias em Capitólio.

| Chegando e saindo

Capitólio é uma pequena cidade de Minas Gerais. Caso você venha de estados mais distantes, aconselhamos voar até Belo Horizonte, onde está o aeroporto mais próximo (300 km) e lá alugar um carro ou pegar um ônibus. Nós recomendamos ficar com um carro e explicamos os motivos mais abaixo, em Como se Locomover.

Caso você venha de São Paulo ou Rio de Janeiro, uma boa opção é ir direto de carro. Saindo de São Paulo, são entre 5 e 6 horas de estrada em um dia de pouco movimento. Você pode pegar a BR 146 (sentido Campinas), BR-050 (sentido Jundiaí) ou a BR-381 (sentido Pouso Alegre). Nós fomos pela BR-050 e foi muito tranquilo. As estradas até Minas Gerais estão bem melhores que antigamente.

O contato com a natureza é incrível (Foto: Flymaniacs)
O contato com a natureza é incrível (Foto: Flymaniacs)

Já se você sair do Rio de Janeiro, terá que passar por Belo Horizonte, levando cerca de 8 horas ou mais. Sim, pode ser uma viagem cansativa, mas acredite: vale a pena!

| Como se locomover

Antes de mais nada, queríamos reforçar que somos daqueles viajantes que curtem muita liberdade para mudar o roteiro em cima da hora, no meio do percurso. Então quase sempre vamos recomendar que você alugue carro para se locomover em uma viagem como essa, que conta com trajetos longos e leva 4 dias. Mas em Capitólio, sentimos que mais do que ter a liberdade, estar de carro faz uma grande diferença.

Isso porque apesar da cidade ser conhecida por tantas atrações, na realidade elas estão quase todas fora de Capitólio. E quando falamos fora, é tipo 30 km de distância. E não tem transporte público que leve até os principais pontos. Dito isso, estar com carro vai facilitar a vida até mesmo de quem está hospedado mais perto das atrações, pois elas todas são distantes umas das outras.

Você poderá visitar mais de 50 cachoeiras em Capitólio (Foto: Flymaniacs)
Você poderá visitar mais de 50 cachoeiras em Capitólio (Foto: Flymaniacs)

Outra opção, para quem realmente não quer usar carro, é fechar passeio com as empresas locais. Muitas delas fazem o serviço de leva-e-traz a partir dos hotéis. Com isso você deve contar uma graninha extra, até mesmo para sair para jantar, caso você queira aproveitar a noite e não esteja hospedado em uma boa localização.

| O que fazer

São muitas atrações, mas vamos listar aquelas que consideramos as mais legais e conhecidas para se fazer em uma viagem de 4 dias em Capitólio.

Mirante dos Cânions

Mirante dos Cânions é parada obrigatória (Foto: Flymaniacs)
Mirante dos Cânions é parada obrigatória (Foto: Flymaniacs)

Essa é uma das principais atrações. Se você jogar no google “Capitólio”, a maioria das fotos serão desse lugar. E ele realmente é lindo, vale a visita. Mas uma dica de ouro: vá muito cedo! O mirante enche e dificilmente você vai conseguir curtir a vibe do lugar com tanto turista tentando tirar foto.

Como o próprio nome já diz, é um mirante com vista para os cânions do Lago de Furna. Assim como outras atrações, recentemente foi implementada uma taxa de R$ 20 para visitação, mas você pode entrar e sair durante todo o dia. E o valor ainda  inclui entrada para  outros dois locais: outro mirante  (que tem uma vista parecida) e uma pequena cachoeira.

Lago de Furnas

O passeio de lancha pelo Lago de Furnas não pode faltar no seu roteiro (Foto: Flymaniacs)
O passeio de lancha pelo Lago de Furnas não pode faltar no seu roteiro (Foto: Flymaniacs)

Depois de vê-lo lá do alto, no Mirante, aconselhamos você conhecer o Lago de Furnas, um dos maiores lagos artificiais do mundo, que se formou na época da construção da Hidrelétrica de Furnas, no começo dos anos 1960. Você pode visitar o lugar de lancha (3 horas ou o dia todo), ou de Chalana, que seria uma espécie de balsa. Essa segunda opção é recomendada para pessoas que tenham alguma restrição com as lanchas. Ela é muito mais devagar e faz bem menos parada.

Nós escolhemos a lancha e adoramos o passeio pela Lagoa Azul, Vale dos Tucanos, Cascatinha, Cânions e um bar flutuante (lá vende uma cerveja artesanal maravilhosa, R$ 10). 

Trilha do Sol

Mirante No Limite na Trilha do Sol (Foto: Flymaniacs)
Mirante No Limite na Trilha do Sol (Foto: Flymaniacs)

A fazenda tem três pontos de visitação: Cachoeira do Grito, Poço Dourado (lindo demais!) e Mirante No Limite. Para conhecer tudo, é preciso caminhar cerca de 3 km, no total. Apesar de ter bastante água pra se refrescar nos dois primeiros pontos, não deixe de levar água para beber e protetor solar. Não tem sombra nas trilhas e o sol pode castigar. Ah, se for feriado, vá preparado! O lugar vai estar beeeem cheio, principalmente por ser um dos pontos mais visitados de Capitólio.

Quando fomos, o guia nos recomendou começar pela cachoeira e de lá seguimos para o Poço Dourado. Essa segunda parada foi o auge do passeio, pois conseguimos pegar o local completamente vazio. E, apesar de ter uma cachoeira no final, o que mais chamou a atenção foram os totens de pedras que as pessoas fizeram em todo a trilha. Ah, uma dica: vá perto do meio dia, horário em que a luz do sol passa pelas árvores e  deixa tudo dourado.

Poço Dourado na Trilha do Sol (Foto: Flymaniacs)
Poço Dourado na Trilha do Sol (Foto: Flymaniacs)

Para finalizar, fomos ao Mirante, onde você poderá ver água e cânions do alto. Muito bonito! Essa é uma atração que apesar das trilhas, você terá que andar dentro da água, então leve tênis e um chinelo.

Recanto Viking

Recanto Viking (Foto: Flymaniacs)
Recanto Viking (Foto: Flymaniacs)

Só soubemos da existência desse lugar depois que chegamos em Capitólio, quando duas pessoas nos indicaram. Até mesmo o dono da pousada que ficamos não conhecia. Ou seja, um lugar pouco explorado, do jeito que gostamos! Já na estrada que dava no local, nos falaram que era melhor ir com carro 4×4. Mesmo assim insistimos e percebemos que era tranquilo fazer com carro normal.

Logo na entrada, você terá acesso ao mapa do lugar. São algumas paradas, sendo a última, Cachoeira do Quelé, a única que eles não recomendam subir de carro. Por isso, você para em um determinado local e faz o restante caminhando. Bem tranquilo, sem subida, são 900 metros que você faz em 10 minutinhos.

De lá, voltamos para conhecer a Cachoeira Pequena Sereia, onde deixamos o carro. Ela é menor e bonita. Mas quando começamos a caminhar na sua lateral, percebemos que era possível fazer uma trilha até queda d’água maior ainda. Linda demais! Só tome cuidado para andar nas pedras. O que mais amamos do lugar é que por ser pouco conhecido, quase não tinham turistas por ali. Em pleno feriado, a gente tinha tudo só pra gente, praticamente.

Pé da Serra

Uma das cachoeiras do Pé da Serra (Foto: Flymaniacs)
Uma das cachoeiras do Pé da Serra (Foto: Flymaniacs)

Esse foi, sem dúvida, o nosso lugar favorito em Capitólio. Por ser pouco conhecido, o lugar não é tão cheio e é maravilhoso! Sem falar que ele é como se fosse a continuação do Paraíso Perdido, um dos lugares mais conhecidos e disputados de lá. Ou seja, ele tem uma beleza igual, se não melhor, é mais barato e menos cheio. Precisa de mais motivos para amar?

Era o nosso último dia em Capitólio e confesso que foi um dilema escolher entre ele e o seu “irmão gêmeo” Paraíso Perdido. Lugar decidido, começamos a caminhar por entre as pedras e quedas d’água. Amamos esse lugar porque você faz todo o caminho desse jeito, não é simplesmente uma trilha de terra. Claro, a atenção precisa ser redobrada, mas o contato com a natureza é muito maior. No total, são 1,5 km de caminhada entre as mais de 18 atrações, como dizem eles.

O Pé da Serra e suas piscinas naturais (Foto: Flymaniacs)
O Pé da Serra e suas piscinas naturais (Foto: Flymaniacs)

As atrações são cachoeiras e piscinas naturais (l-i-n-d-a-s-!). O mais inusitado foi que, por ser continuação do Paraíso Perdido, chega uma hora que as propriedades se juntam e você só precisa atravessar um paredão rochoso segurando em uma corda. É tranquilo, mas não são todos que conseguem atravessar. No dia, conhecemos os dois lugares, pagando apenas o valor do Pé da Serra, que é mais barato (R$ 25). Ah, uma dica, lá tem um restaurante delicinha, com comida caseira por R$ 25, comendo à vontade.

Paraíso Perdido

Bom, já falamos um pouco dessa atração acima, mas para complementar, ela também é linda e cheia de quedas d’água e piscina naturais. Porém, ela é muito cheia e custa o dobro da sua irmã menos famosa, Pé da Serra. Recomendamos que você chegue cedo pra curtir. É um lugar que você pode passar quase o dia inteiro, pois você fará trilha dentro da água e poderá fazer várias paradas.

Cachoeiras

A Cachoeira da Filó é uma das mais bonitas e grandes que vimos por lá (Foto: Flymaniacs)
A Cachoeira da Filó é uma das mais bonitas e grandes que vimos por lá (Foto: Flymaniacs)

Além das grandes atrações, que são cheias de cachoeiras em um mesmo espaço, existem as cachoeiras menores que você pode visitar no fim do dia. Normalmente, a gente fazia dessa forma: acordávamos cedo, escolhíamos um lugar grande, passávamos quase o dia todo por lá e durante a tarde íamos para outra cachoeira menor. Quase sempre era possível fazer dois passeios por dia.

Entre as mais conhecidas estão a Cachoeira da Filó (a que mais gostamos), a Cascatinha e a Diquadinha.

Complexo da Capivara

Quase todas as pessoas locais que conversamos, indicaram esse local. Como não tivemos tempo, deixamos para uma segunda visita. Assim como as outras atrações, o lugar tem basicamente trilhas, cachoeiras e piscinas naturais. Em alguns momentos, essas piscinas viram ofurôs em que você pode relaxar dentro da água. Parece superinteressante!

Pedreira

Esse foi um passeio muito bem recomendado por alguns, mas desencorajado por outros. Na dúvida, e pela falta de tempo, optamos por não conhecer. O local é formado por uma lagoa azul cristalina e que fica em uma pedreira desativada, que fazia a exploração de pedras na região. É necessário visitar com carro 4X4, pois a estrada parece ser complicada.

| Nosso roteiro

Infelizmente não conseguimos conhecer todos as atrações acima, afinal, ficamos 4 dias em Capitólio, mas está aí um bom motivo para voltarmos. Confira o que visitamos e já adianto, o roteiro foi perfeito!

Dia 1: Mirante dos Cânions e Lago de Furnas (passeio de lancha)

Dia 2: Trilha do Sol e Cachoeira Cascatinha

Dia 3: Recanto Viking e Cachoeira da Filó

Dia 4: Pé da Serra

| Onde se hospedar

Como já falamos, as principais atrações ficam fora de Capitólio. E, por isso, muita gente acaba optando em ficar perto das cachoeiras, longe do centro. Entre as cidades que você pode se hospedar estão São João Batista do Glória e Piumhi.

Trilhas, piscinas naturais e cachoeiras,isso resume Capitólio (Foto: Flymaniacs)
Trilhas, piscinas naturais e cachoeiras,isso resume Capitólio (Foto: Flymaniacs)

Nós escolhemos ficar em Capitólio mesmo, principalmente pela facilidade para sair à noite. Como durante o dia se faz muitos passeios, fica indo pra lá e pra cá, achamos melhor descansar durante a noite evitar pegar estrada, até mesmo para podermos jantar com mais tranquilidade. Acredito que das duas formas vale a pena. Em algum momento do dia você terá que pegar o carro para se locomover mais, a não ser que você escolha ficar em um hotel com tudo incluso.

Aliás, Capitólio tem hospedagem para todos os bolsos: hostel, hotel, pousada, resort, airbnb. O que você quiser, irá encontrar.

| Onde comer

Comer em Minas Gerais é sempre uma atração à parte! São tantas opções, e aposto que quase todas maravilhosas. Como no horário do almoço, na maioria das vezes, a gente estava nas trilhas, sempre levávamos um lanchinho para comer durante o dia. Mas a noite conseguimos conhecer deliciosos lugares à noite. Aí vão algumas dicas: Turvo, Salvatore, Tropeiro e Quintal do Brasil.

Capitólio e seus Cânions sensacionais (Foto: Flymaniacs)
Capitólio e seus Cânions sensacionais (Foto: Flymaniacs)

Esses são os que mais gostamos, mas existem outros milhares. Aliás, muitas atrações têm restaurantes no local. Caso você queira almoçar entre uma atração e outra, recomendamos. Todas são comidas caseiras deliciosas!

| Quanto custa

Esse ponto é sempre muito relativo, mas sabemos da importância de se ter uma noção para planejar uma viagem. Abaixo estão os valores de alguns locais que conhecemos.

Transporte: Pedágio + gasolina (SP – MG e deslocamento interno) = R$ 600

Hotel: Pousada simples = R$ 580

Alimentação: Gasta-se em média R$ 50 por pessoa. Existem restaurantes mais caros e outros mais baratos. Essa é uma média.

Passeios

Fizemos todos por conta própria, sem guia. Isso deixa o custo mais vantajoso. Apenas o passeio de lancha que tinha guia.

  • Mirante dos Cânions: R$ 20
  • Lago de Furnas (lancha): R$ 80 (dá pra negociar) – fizemos passeio com o Gilson (+55 37 9938-8372)
  • Trilha do Sol: R$ 45
  • Recanto Viking: R$ 15
  • Pé da Serra: R$ 25
  • Paraíso Perdido: R$ 50
  • Cachoeira da Filó: R$ 10
  • Cachoeira Cascatinha: R$ 5
  • Cachoeira Diquadinha: R$ 10
  • Complexo da Capivara: R$ 25

Confira mais fotos de Capitólio:

 

 

Deixe sua mensagem